Postado em 12/12/2017 08:55:00

Estudo mostra que principais vítimas de assassinatos são jovens negros e Pará é o terceiro estado mais violento

O estudo da Unesco mostra que os jovens negros entre 15 e 29 anos correm mais riscos de serem vítimas de homicídios do que os brancos da mesma idade.

Um estudo realizado pela Unesco mostra que as principais vítimas de assassinatos no Brasil são os jovens negros. O Pará é o terceiro estado mais violento.

O universitário Adriano Mendes (27), negro e morador da periferia de Belém, é estudante de Direito da Universidade Federal do Pará (UFPA) e, só nos últimos dois anos, viu dois primos seus serem assassinados. “Um dos meus primos estava de moto e um carro passou e atirou nele. Ele foi socorrido e morreu no hospital. O outro primo, alguém atirou nele passando de moto”, conta.

O estudo da Unesco mostra que os jovens negros entre 15 e 29 anos correm mais riscos de serem vítimas de homicídios do que os brancos da mesma idade. O levantamento utiliza dados de 2015 e mostra que, no Brasil, a cada 100 mil habitantes morreram 86,3 negros para a mesma faixa populacional. O número de brancos assassinados é bem inferior: 31,9.

Ou seja, o risco de negros serem assassinados no pais é quase três vezes maior. Entre os estados brasileiros, o Pará tem o terceiro maior índice. Aqui, o número de jovens negros vítimas da violência é quatro vezes maior que de jovens brancos: para 100 mil habitantes há 106,4 negros mortos e apenas 25,3 brancos mortos.

A taxa de homicídios contra as jovens negras no estado também preocupa. “Há várias mulheres em situação de pobreza, desemprego e sendo muito mais vulneráveis aos casos de violência doméstica”, diz a membro da Rede de Mulheres Negras do Pará Flávia Câmara.

A pesquisa foi realizada em estados brasileiros com mais de 100 mil habitantes. “Nós estamos dizendo que a desigualdade persiste, mas, sobretudo, a discriminação racial persiste no Brasil”, diz a representante da Unesco Marlova Loreto.

Para os especialistas, esses dados refletem a falta de politicas públicas eficazes para o segmento. Um problema que se arrasta há vários anos, desde a época da escravidão e que até agora não foi solucionado.

https://g1.globo.com/pa/para/noticia/estudo-mostra-que-principais-vitimas-de-assassinatos-sao-jovens-negros-e-para-e-o-terceiro-estado-mais-violento.ghtml

Fonte: G1/PA
Publicidade
250 x 90
Publicidade
250 x 90
Publicidade
250 x 90
Publicidade
250 x 90